Artigos

Sankalpa para a primavera - Eu sou o que como!

 

A chegada da primavera traz sempre consigo uma diversidade de aspirações e intenções. Contudo, quantos de nós está realmente disponível para colocá-los em prática? Quantos dos nossos objetivos se diluem na azáfama da rotina? Seja na promessa de fazer exercício regular ou de beber menos café, mesmo os mais disciplinados podem achar difícil manter as suas resoluções em vigor. No entanto, não importa quanta vezes retomou aos antigos hábitos, não desista. Nunca! Afinal, a chegada da nova estação é a melhor motivo para comprometer-se com as atividades que o conduzam a uma vida mais positiva, saudável e feliz.

 

Na hora de definir um propósito, simplifique. Estabeleça metas reais e possíveis de concretizar. Por vezes, o entusiasmo é tão grande que nos esquecemos das limitações mais subtis. Assim, a maneira mais segura é fazer intenções simples e realizáveis. Uma vez que sabe que consegue manter a sua promessa, a quantidade de realização e alegria que trará à sua vida será imensurável, acredite.

 

Neste artigo sugere-se especificamente uma intenção, um sankalpa, muito simples para entrar na primavera com vitalidade: trazer atenção à sua dieta. A Ayurveda coloca a comida e o ato de comer numa categoria muito valiosa. Tal como se se tratasse de uma oferta à divindade responsável pela existência, assim deve ser a forma como come: uma oferenda, um serviço a si próprio para sustentar a sua vida.

 

Independentemente do tipo de alimentação – omnívora, vegetariana, vegana, crudívora, etc. – a maneira como se alimenta é tão relevante como o alimento em si. Seguindo a perspetiva de Ayurveda, partilhamos consigo algumas dicas:

 

1. Coma com atenção plena:

 

Em primeiro lugar, para receber o maior beneficio deste momento, é crucial manter um estado tranquilo de consciência. Quando estamos envolvidos noutras ações enquanto comemos, não prestamos total atenção ao processo digestivo. Estamos a ser injustos com o nosso corpo. No momento de comer, deve estar sentado confortavelmente, num ambiente bem estabelecido e calmo. Esteja presente com a sua refeição. A distração vai contra o princípio da alimentação saudável.

 

Em segundo lugar, a ideia do silêncio encoraja a ser mais pacífico e presente com a sua comida: não só estimula a produção dos sucos que irão digerir o alimento, como traz mais consciência ao momento. Experimente: atente o sabor, a textura e os aromas que ressaltam no seu prato!

 

Por fim, aqueles que comem com consciência descobrem que mastigam com mais cuidado, mais devagar e atingem a saciedade mais rapidamente evitando comer compulsivamente. Assim, prestando especial gratidão à Mãe-Natureza que providenciou os alimentos e à pessoa que o cozinhou, adiciona felicidade e satisfação a si e à sua digestão.

 

2. Esteja presente:

 

Evitar distrações enquanto come é fundamental. Se estamos sentados à mesa e distraídos com a televisão, não estamos totalmente envolvidos neste processo. Às vezes nem nos apercebemos do que estamos a comer!

 

Comer com consciência depende, essencialmente, de si. A digestão tem início na boca e a saliva é um elemento importantíssimo neste momento, pois reparte os alimentos. Se não mastiga adequadamente porque está distraído, está a perder uma parte do processo digestivo e o seu alimento chega ao estômago mal preparado para a próxima etapa.

 

Um benefício adicional de comer conscientemente é que, concedendo tempo ao estômago para comunicar com o cérebro, reduz a tendência para comer demais. Basta lembrar, como é importante para a sua mente estar envolvida no processo de qualquer atividade ou conhecimento. Sem uma mente envolvida, não pode aprender nada de novo, inclusivamente comer. A Ayurveda incentiva a evitar conversas ruidosas e a estar presente com a sua refeição enquanto come.

 

3. Alimente-se à hora certa:

Contrariando o velho ditado que nos diz “o pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia”, a Ayurveda considera que cada refeição é equitativamente indispensável. Ainda assim, segundo os princípios da dieta de Ayurveda, o almoço deve ser considerado a refeição principal do dia, com o pequeno-almoço e o jantar reduzidos na sua quantidade. Os “snacks” nos intervalos das refeições são totalmente de evitar.

 

Este princípio está alinhado com a força energética do sol durante o dia: o sol é mais forte ao meio-dia, assim como o sistema digestivo também é mais forte a meio do dia. Por este motivo, coma mais quando a sua digestão está no seu melhor. Além disso, beneficia de um dia inteiro em atividade para apoiar a digestão da sua refeição principal.

 

4. Coma as proporções corretas:

Os textos de Ayurveda são bastante claros quanto à quantidade ingerida. Idealmente, se dividir o tamanho do seu estômago em quatro partes, deve comer duas partes sólidas, uma parte líquida e deixar uma parte para o espaço vazio. Um exercício que pode ajudar no controlo das porções é manter quantidades sempre abaixo de um anjuli, ou seja, uma porção equivale a duas mãos juntas e em forma de concha.

 

5. Mantenha-se emocionalmente saudável:

Momentos de stress, ansiedade ou de entusiasmo excessivo não são alturas favoráveis para comer, pois não só afetam a produção de enzimas digestivas como se torna mais difícil comer com atenção. Quem nunca sentiu falta de apetite ou uma gula incontrolável quando está mais nervoso? Se estiver nessa situação, relaxe um pouco e, quando se sentir mais calmo, então coma algo. Nunca durante o pico de turbulência emocional.

 

6. Beba com consideração:

A água é bhesaj (remédio) para o ajirna (indigestão): fortalece após a digestão, é néctar quando tomado entre as garfadas e veneno no final da refeição. Esta é uma máxima que poucos conhecem. Inconscientemente podemos beber muita água (ou outros líquidos, inclusive) no decurso das refeições. Isto é como derramar água num fogo, o seu fogo digestivo. E o que acontece? “Arrefece” a sua digestão. Como tal, o ideal será beber com consideração, aos poucos e à temperatura ambiente intercalando com cada garfada. Desta forma, assegura uma boa digestão.

 

7. Respeite o seu Agni:

A Ayurveda refere-se ao fogo digestivo presente na fisiologia humana como agni. Como tal, com base no dosha e no seu estado de equilíbrio, a força do agni pode estar equilibrada (sama), irregular (vishama), lenta (manda) ou aguda (tikshna).

 

Segundo os diferentes tipos de poder digestivo acima assinalados, observe o seu agni e escolha apropriadamente a qualidade e quantidade de comida. Aqueles que têm um agni agudo, suportam refeições pesadas, enquanto a digestão lenta prefere alimentos leves, bem cozinhados e fáceis de digerir. É crucial perceber que a qualidade do “peso” da refeição também depende da sua quantidade. Alimentos pesados podem ser mais leves se ingeridos em pequenas quantidades e os alimentos leves podem ser mais pesados se tomados numa quantidade excessiva. Assim, a consideração da quantidade pesada versus a qualidade aliada às qualidades de equilíbrio dos doshas, é indispensável enquanto se come.

 

O alimento ou aahara é um entre os três sub-pilares da saúde. Colocando toda a sua atenção não apenas sobre a qualidade do alimento, mas também na forma como come é essencial.

 

Este é um momento maravilhoso para observar as rotinas e colocar toda a sua consciência sobre o belo ato de comer, porque afinal: "Você é o que come".

Texto: Teresa Melo